Entretenimento

'Não podia deixar de vir' · 24/10/2015 - 09h51

Joelma tem crise de choro em show com pai de Cristiano Araújo em GO

Pai de Cristiano Araújo prestigiou a cantora: 'Não podia deixar de vir'


Compartilhar Tweet 1



A Banda Calypso se apresentou em Goiânia, na madrugada deste sábado (24), data em que a capital completa 82 anos. Sem a presença do ex-marido, o guitarrista Chimbinha, a cantora Joelma se emocionou e agradeceu aos fãs pelas orações e apoio. “Se eu tiver que chorar agora, é só de alegria”, afirmou logo no início da apresentação. Ao cantar a música gospel "Buscar tua face", a vocalista se ajoelhou e teve uma crise de choro, mas não se referiu à crise no grupo provocada pelo fim do seu casamento.

O pai do sertanejo Cristiano Araújo, João Reis, visitou Joelma no camarim e acompanhou o início do show. Segundo ele, a cantora o abraçou e desejou forças para superar a morte do filho, que morreu em um acidade de carro há exatos quatro meses. “Eu não podia deixar de vir prestigiar Joelma”, afirmou João Reis.

No repertório do show estavam os maiores sucessos da banda, com exceção de “A lua me traiu”. A ausência da música foi notada pela frentista Marta Sílvia, de 27 anos, que acompanhou o show. “Não deve ser nada fácil passar por isso e ter que cantar uma música que a gente se identifica com a história. Ela fez certo de não cantar”, afirmou a fã

Foram 27 músicas interpretadas por Joelma, entre elas os hits “Isso é Calypso”, “Acelerou”, “Dudu” e “Vendaval”. No setlist, a banda apresentou duas músicas evangélicas, “Unção sem limites” e “Buscar tua face”, momento em que a cantora teve uma crise de choro. Joelma encerrou a faixa ajoelhada chorando e levantou-se agradecendo o apoio dos fãs, mas não citou a crise com o ex-marido.

Chimbinha foi substituído no show pelo guitarrista pernambucano Ian Marinho. O músico e ex-marido de Joelma divulgou uma nota no último dia 7 de outubro pedindo desculpas ao público de Goiás por não participar dos shows. De acordo com a assessoria do músico, ele teme que "atos lamentáveis de violência ocorridos em Teresina se repitam".


Fonte: G1