E faz maratona de revisões · 13/05/2017 às 22h15 | Última atualização em 08/07/2017 às 14h18

Podium prepara quase 1.600 alunos para o concurso da Polícia Militar-PI

Podium prepara quase 1.600 alunos para o concurso da Polícia Militar-PI


Compartilhar Tweet 1



Neste domingo (14/05) os professores do Podium Concursos estarão na cidade de Floriano para mais uma aula preparatória voltada aos candidatos inscritos no Concurso da Polícia Militar do Piauí. Começa às 8h e segue até 13h, no auditório do Hotel Rio Parnaíba.

É a terceira cidade visitada pelos professores Ronald Moura e Cleiton Coutinho, em um projeto que visa proporcionar aos candidatos do interior do estado um muito da preparação recebida pelos alunos do Podium.

O preparatório, que completa 4 anos de mercado em 2017, é fruto de uma sociedade empresarial pautada na confiança, e no compromisso de transformar a vida daqueles que apostam no concurso como forma de alavancar seu futuro profissional e financeiro.

Em entrevista ao 180graus, Cleiton Coutinho lembra de como surgiu o preparatório. Professor de Direito Constitucional, ele já trabalhava ao lado de Ronald Moura na área de preparatório. “Fomos observando que quem levava o aluno para sala de aula éramos nós. Daí pensamos por que não poderíamos ter o nosso próprio preparatório?”, diz.

O primeiro desafio da dupla foi criar a marca, que nasceu da parceria com um terceiro sócio, que hoje não mais faz parte da empresa. Mas o slogan nasceu da inspiração da esposa de Cleiton. Ele diz que estava no carro, viajando para a cidade de Jaicós, quando mencionou para mulher que a marca já estava definida, e precisavam então de um slogan, que rapidamente lhe respondeu: “preparando vencedores”.

Diante do propósito dos professores, o nome não poderia ser melhor. E foi justamente quando o Podium começou a atrair outros bons nomes do mercado, que o professor Ronald Moura se viu consciente de que o preparatório ganhara credibilidade, se firmando no mercado.

Hoje o time é formado por profissionais comprometidos, nenhum deles com menos de 5 anos de mercado. A relação diária, além da profissional, é também de companheirismo.

O segundo passo rumo à consolidação do sucesso do Podium Concursos foi imprimir a questão da organização. “Em uma conversa eu e Cleiton decidimos que por mais que não tenhamos resultados financeiros naquele início, precisaríamos do resultado da organização”, explica o professor Ronald, que menciona ter recebido dos alunos muitas queixas em relação à falta de organização entre o que já havia no mercado na época.

É importante, diz Ronald, que o aluno chegue motivado à sala de aula, em sinergia com os professores e funcionários, todos tratados como uma família. “Se hoje temos quase 1600 alunos, nesta realidade do concurso da Polícia Militar, é porque lá atrás a gente se sacrificou de uma forma que pudesse nos dar credibilidade”, enfatiza.

E o empenho do passado gera frutos até hoje, quando muitos policiais militares ex-alunos indicam para o preparatório aos seus familiares e amigos.

Para os professores, a falta de valorização do mercado era bem mais latente, deficiência corrigida pelo Podium, que oferece à equipe calor humano, proximidade, respeito. E se para os profissionais o tratamento gera confiança, para os alunos isso se reflete em resultado. Os professores reforçam que a aprovação no concurso não é só “sala de aula”, mas tem muito de fatores externos que influenciam o psicológico do candidato, afetando sua confiança.

Cleiton conta o caso de um aluno que chegou a pedir baixa no Exército para concorrer no concurso da PM, pelo sonho de compor as fileiras da polícia militar do Piauí. Engajado, ele sofreu o baque da perda da mãe, e com a ajuda dos amigos e dos professores do Podium, conseguiu voltar para a sala de aula. Como esta história, há muitas coisas, de vidas transformadas, em um trabalho quase que social.

E pensando trabalhar estes fatores externos, o Podium traz um novo modelo de revisões. “Sabemos que os candidatos, principalmente os mais jovens, sentem que naquele momento também podem ser feitas outras coisas. Na nossa levamos o DJ, que traz o calor musical, os mascotes, palestras motivacionais, preparador físico, show de humor. Quando resolvemos fazer uma revisão na madrugada, muitos apostavam que não ia dar certo, mas surpreendemos por ter sido diferente. O aluno não saiu de lá reclamando, exatamente por tudo ter sido pensado em cada detalhe”, diz Ronald.

Outra cultura que os professores tentam mudar é a chamada preparação editalícia, que arrebanha candidatos para a sala de aula apenas quando os editais dos certames são publicados. Cleiton Coutinho alerta que a própria autorização do concurso já deve alertar o aluno. Um prazo que pode chegar a até meio ano de preparação desde a portaria que autoriza o concurso até o dia da prova.

Ronald defende que, quanto mais cedo o aluno se preparar, mais adiante na fila do concurso ele estará. “O concurso é uma fila, uma vez ou outra alguém fura essa fila, mas o importante é que quanto mais cedo você começa a se preparar, mais chance de andar nesta fila”, compara.

E o ritmo da preparação segue até o dia da prova. Além da aula em Floriano, os candidatos em Teresina poderão participar neste domingo de revisão nas áreas de Matemática, Direito Penal, Informática e Legislação da PM-PI a partir das 8h na Central de Artesanato Mestre Dezinho.

No dia 20, véspera do concurso, uma mega revisão reunirá o time Podium no Iate Clube de Teresina. Com responsabilidade, os professores irão discutir os conteúdos que podem cair na prova, refrescando o que foi estudado, e importante principalmente para os candidatos que já concluíram as turmas. “Não vamos lá só para resolver questões. Nossa equipe analisa provas do concurso anterior, aquilo que vem sendo mais cobrado. O crucial é que o Podium hoje é uma empresa de concursos, e tudo que fazemos é com profissionalismo”.