Como Ser Feliz · 03/03/2011 - 07h30

Educado,Elegante e Feliz

Educado,Elegante e Feliz


Compartilhar Tweet 1



Em minhas andanças pela cidade - com a finalidade de colher material de pesquisa para meu futuro livro – de vez em quando me deparo com cenas curiosas e, algumas vezes, com cenas esdrúxulas ou deselegantes. Tais como duas que presenciei nesta semana. Em uma delas, eu estava num elevador com uma amiga quando adentrou um senhor que, educadamente, deu bom dia a todos e nos convidou para assistir a um culto evangélico. Imediatamente, uma senhora trajada elegantemente respondeu-lhe com grosseria: ‘sou católica’... talvez ignorando que os católicos e evangélicos têm ambos o Cristianismo como a sua fonte de fé.

Em outra situação, passada dentro de um restaurante no centro da cidade, um senhor (que devia estar com muita pressa ou muito faminto) passou à frente de duas senhoras para fazer o seu pedido de refeição ao garçom, deixando-as perplexas e muito espantadas com tamanha deselegância por parte do distinto (estava de terno e gravata) cidadão que, simplesmente, ignorou o fato delas terem chegado bem antes dele no restaurante.

Fiquei refletindo em tudo isso, especialmente no aumento da falta de elegância ou falta de educação cometida pelas pessoas, onde fatos grosseiros como estes e outros são constantemente praticados tais como: não ceder o lugar nos ônibus aos idosos e senhoras grávidas; não ajudar aos cegos ou crianças a descer dos coletivos ou atravessar as ruas; falar em voz alta ou proferindo palavrões em qualquer lugar; não respeitar o legítimo direito daqueles que o tem; ‘furar’ filas de bancos ou repartições; não oferecer carona ou transporte solidário aos vizinhos e amigos em dias de greve dos motoristas de ônibus etc. Uma deselegância que agride o bom senso e aos bons modos, agravando a violencia do nosso dia-a-dia.

Estou postando abaixo um belo texto de Glória Kalil, jornalista, empresária, consultora de moda e também autora de inúmeros livros sobre elegância, para nossa leitura e reflexão do que realmente é ser chique, ser elegante neste Século XXI

Ser Chique Sempre

Nunca o termo “chique” foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.

Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.
O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo.
Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas,
nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens,
mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

Chique mesmo é parar na faixa de pedestre
É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador.
É lembrar do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais!
Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor.
É “desligar o radar” quando estiverem sentados à mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção a sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Mas para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo,
de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos retornar ao mesmo lugar, na mesma forma de energia.
Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não te faça bem.
Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Afinal das contas chique mesmo é ser feliz!


Fonte: Seguraopicuma