180graus

Blog do Poeta Elmar - 06/04/2010 às 22h22

MELANCOLIA DO ENTARDECER

Elmar Carvalho

 \"\"

Ontem, ao sair do trabalho, de tardezinha, estava um tanto melancólico. Por isso mesmo, resolvi dar uma volta de carro até o início da Chapada Grande, seguindo pela estrada que vai de Regeneração para Oeiras. O entardecer, na zona rural, em que se percebe com mais intensidade o cair da noite, sempre me entristece um pouco. Acho o amanhecer sempre mais alegre; até o cantar das aves me parece mais festivo, com a luz surgindo e fazendo tudo ressurgir. O cair das trevas é quase como se fosse um aniquilamento de tudo, com as coisas e a paisagem desaparecendo na escuridão. É como se fosse a antecipação ou o ensaio da morte. Dizem que o sono é uma pequena morte, mas o sono nunca me causou tristeza. Ao contrário, a falta dele é que causa uma certa ansiedade e até mesmo graves problemas psicológicos nas pessoas que têm dificuldade em dormir. Isso porque sentimos vontade e mesmo necessidade de dormir. Bandeira, num de seus poemas, fala que quando fora dormir, em certa noite de São João, havia conversa, risos, luzes, mas quando acordou, alta madrugada, já nada disso havia, porquanto estavam todos dormindo, dormindo profundamente. Há o dormir mais profundo, o dormir da noite eterna, o dormir da morte, de que jamais se acorda. Suponho que essa nostalgia ao entardecer é um sentimento atávico, ancestral, entranhado na alma e numa espécie de memória genética, se é que assim me posso exprimir, que aparentemente surge sem razão e para o qual não se encontra fácil e instantânea justificativa. Contudo, creio que o tombar da noite, nos lugares em que não existe luz elétrica, lembra o caos primordial em que nada existia, mas do qual tudo surgiu. Um caos primordial às avessas, que tudo vai destruindo, que tudo vai reduzindo a nada, porque as coisas vão desaparecendo de nossa vista, como se deixassem de existir de fato, e não apenas para a nossa percepção visual. Embora tenhamos fé numa outra vida, a morte nos entristece pela saudade que sentimos da pessoa que não mais veremos. A separação pela distância nos deixa triste, mas acalentamos a esperança de que sempre poderemos rever a pessoa amada. Talvez fiquemos tristes ao crepúsculo porque é como se as coisas morressem ao desaparecer nas trevas, e a noite se nos afigurasse como uma espécie de antecipação da morte; da morte de nós mesmos, e da morte do mundo que perderemos com a nossa morte. Mas, parafraseando a letra viniciana, chega de tristeza, chega de saudade.
(*) Texto desentranhado do Diário Incontínuo, que venho persistindo em publicar no meu blog http://poetaelmar.blogspot.com  
 

Publicado Por: Elmar Carvalho

Últimas Notícias
15h26 Imagens mostram ventania que deixou 13 pessoas feridas 15h24 TRE nega recurso e mantém no cargo prefeito do Norte do Piauí 15h22 Corpo é encontrado próximo á sede da Polícia Federal em Teresina 15h14 Baiano que nasceu com a cabeça para trás hoje dá palestras: 'Fui diferente' 15h14 Unidade Básica de Saúde é construída para aumentar atendimento médico em Caracol 15h10 Queda de helicóptero deixa cinco feridos no Paraná 15h07 Funcionários da VLI realizam uma ação comunitária no Dia Nacional do Voluntário 14h55 Após ter sido arrastado 1 km por animal, adolescente morre asfixiado no interior 14h43 Na TV, Zé Filho diz que é candidato sem rabo preso; veja os programas 14h28 Recomendação da DPE/MA poderá beneficiar 14 milhões de famílias em todo o Brasil 14h28 Cai previsão do mercado para crescimento da economia 14h22 Câmara legislativa de Corrente irá promover audiência pública sobre atendimento bancário 14h16 Justiça Eleitoral do Piauí absorve prefeito acusado de compra de voto 14h05 Vasco treina com presença de torcida, que pedem encontro com jogadores 14h01 Morre terceira vítima da queda de avião em Curitiba 13h52 Secretaria de Saúde de Paes Landim convida meninas para tomarem a 2ª Dose da Vacina contra o HPV 13h45 Fotos de Jennifer Lawrence podem ter vazado por falha no Find my iPhone 13h39 Semel divulga resultados da Taça Teresina SUB-13 13h36 Obras do Ginásio Poliesportivo da Região das Vilas estão a todo vapor 13h24 Vereadores promovem sessão "trasnsparência" na Câmara Municiapal de Ribeiro Gonçalves 13h13 Kolping de Esperantina abre inscrições para cursos profissionalizantes 13h10 UESPI de Esperantina abre inscrições para novos cursos 13h09 ACUSADO de matar taxista confessa ser o autor do crime 13h08 Xperia Z2 ou Moto X: confira o comparativo dos celulares e veja o melhor 13h06 Adolecente morre asfixiado após ter sido arrastado 1 km por animal no PI
Mesário Voluntário

Enquete

A morte de um taxista gerou um clima de revolta em Teresina. Um dos suspeitos já presos tinha várias passagens pela polícia, mas estava solto. Com um número cada vez maior de criminosos à solta, de quem você acredita que seja a culpa?

Total de Votos: 902

Válida de 29/08/2014 a 05/09/2014

Mais lidas

    180graus no Instagramno Instagram